quinta-feira, 29 de maio de 2008

Edição 132 - Maio de 2008


EDITORIAL | Sucessos

Nesta edição, puxámos o desporto aqui para a entrada, pois uma vez mais as equipas de futsal da Golpilheira nos deram motivos para isso. Vencedoras incontestáveis de todos os jogos que disputaram, até agora, em ambos os escalões sénior e júnior, estas duas equipas estão a terminar mais uma época de ouro.
Para as mais novas, falta apenas a conquista da Taça Distrital para fazer o pleno, que poderá concretizar-se no próximo dia 24. Para as seniores, depois de ganharem o campeonato e a taça distritais, ultrapassaram já a primeira fase da Taça de Portugal da modalidade e entram nas meias-finais com vontade de repetir, pelo segundo ano consecutivo, a presença na final, onde no ano passado se sagraram vice-campeãs nacionais. E não deveremos esquecer que o apoio dos adeptos é fundamental para estes sucessos. Elas merecem.
Em destaque, também, a programação cultural da autarquia para os próximos quatro fins-de-semana. São diversas as propostas, para miúdos e graúdos, que nos dão razões para ir até à vila aproveitar a animação ao ar livre, assim o estado do tempo o permita…
Nesta agenda, destacamos a Feira Medieval, uma novidade que se quer projectar como grande evento regional e mesmo nacional, nos próximos anos. Depende também da nossa colaboração fazer com que esse sucesso seja um facto.

Assembleia Geral do Centro Recreativo da Golpilheira

31 de Maio - 20h30
Votação do Relatório e Contas do Exercício de 2007
e Parecer do Conselho Fiscal


Mais uma vez, a Assembleia-Geral do Centro Recreativo da Golpilheira foi adiada, desta feita para o próximo dia 31 do corrente mês de Maio.
A decisão foi tomada no início da reunião do passado dia 26 de Abril, pelos pouco mais de dez sócios presentes, tendo em conta, precisamente, este reduzido número.
Numa colectividade com tantos sócios e com tantas pessoas a integrar as diferentes secções, estranha-se esta fraca participação. É aqui que todos devemos expressar as nossas ideias, críticas e também solidariedade para com aqueles que aceitaram dirigir a associação, para mais em tempos difíceis como os que correm.
Espera-se que à terceira seja de vez e a nova sensibilização junto dos sócios resulte. Pelo menos que os membros das várias direcções compareçam, pois já seriam meia centena...

Golpilheira está nas meias-finais da Taça Nacional de Futsal Feminino

A nossa equipa de futsal feminino sénior está nas meias-finais da Taça Nacional, após passar a 1ª fase com 5 vitórias e 1 derrota, somando 15 pontos, 35 golos marcados e 8 sofridos.
O primeiro jogo, com o Posto Santo, nos Açores, revelou-se uma vitória fácil, por 2-10.
No segundo, receberam o adversário mais temido, o Fundão, num jogo bastante lento e táctico, onde cederam uma derrota por 1-2.
No jogo com o Riachense, as nossas atletas viveram uma tarde inspiradíssima, conseguindo golear por 10-1 uma equipa que não era, à partida, muito fácil.
De novo contra o Posto Santo, desta vez em casa, a Golpilheira voltou a um expressivo resultado de 9-2.
Chegou a vez de ir ao Fundão, onde conseguiram "vingar" a derrota em casa, por igual resultado de 1-2.
Na última jornada, Golpilheira e Fundão estavam em igualdade pontual, mas a nossa equipa levava uma vantagem de 13 golos na diferença entre marcados e sofridos, o que lhe garantia a passagem às meias-finais. No entanto, sabíamos que aquela equipa jogava nos Açores, onde poderia dar goleada. Por isso, tínhamos de ganhar e pelo maior número possível de golos.
Iniciado o jogo, verificou-se que a equipa da casa tinha uma grande preocupação defensiva. No entanto, começámos bem, com Sandrita a fazer cedo o primeiro golo. A Golpilheira continuava a pressionar, mas as jogadoras adversárias defendiam muito bem, incluindo a guarda-redes. Começava a verificar-se que a tarefa não ia ser fácil, chegando ao intervalo com o magro resultado de 0-1. Nesta altura, tínhamos a informação de que a equipa do Fundão ganhava por 7-0.
Com o início da segunda parte, o nosso domínio acentuou-se, mas a bola teimosamente não entrava. Os minutos passavam e a equipa do Fundão continuava a aumentar a diferença. Finalmente, Carolina consegue obter o segundo golo, mas a margem continuava a ser muito curta, porque o jogo nos Açores estava a correr bem ao Fundão. O nosso jogo aproximava-se do final, quando Licas, de ângulo quase impossível, marcou um belo golo. Ainda desfrutámos de um livre de 10 metros, mas Licas não conseguiu converter, e o jogo chegou ao fim a 0-3.
Sabíamos que o Fundão ganhava por 2-17 e o jogo ainda decorria. Foi sofrer a bom sofrer, pois com estes resultados já só tínhamos a vantagem de um golo. Foi uma longa espera, com poucos minutos a parecerem horas, até que finalmente o director Acácio confirmou que estavávamos na meia-final! Foi uma explosão de alegria para os todos nós!

Próximos jogos
Agora seguem-se os dois jogos da meias-finais, onde defrontaremos a equipa da Escola de Gondomar, primeiro na Batalha, no dia 25 de Maio, às 17h30, e depois em Gondomar, no dia 1 de Junho, às 16h30.
Esperamos que a nossa equipa jogue ao seu melhor nível e garanta a presença na final, pelo segundo ano consecutivo, onde encontrará a equipa vencedora da outra meia-final, a disputar entre o Flaviense e o Benfica (campeão em título).
É importante que os sócios e simpatizantes do CR Golpilheira apoiem em massa a equipa, tanto na Batalha como em Gondomar.
Caso cheguemos à final, os dois jogos serão nos dias 7 e 14 de Junho, em local e data ainda por designar.
Manuel Carreira Rito

Futsal júnior também invencível no campeonato e na Taça Distrital

Juniores tetracampeãs distritais

Terminou no passado dia 17 de Maio o Campeonato Distrital de Futsal Júnior Feminino. A equipa do C. R. Golpilheira sagrou-se campeã distrital pela quarta vez consecutiva, com absoluta invencibilidade. Somou 24 vitórias em outros tantos jogos, com 176 golos marcados e apenas 37 sofridos. Apesar deste feito, é de registar um maior equilíbrio entre as equipas, revelando algumas delas um bom grau de progressão, verificado nos últimos anos. É salutar esta evolução, uma vez que torna o campeonato mais competitivo.
Estes sucessos só são possíveis graças ao trabalho e excelente gestão do plantel da treinadora Teresa Jordão, e também dos directores, massagistas e, claro, dos apoiantes.

Taça Distrital
Outro feito desta equipa foi vencer a Taça Distrital, disputada a 24 de Maio, na Nazaré, frente à equipa de Ribafria. Repetiu-se a final dos últimos três anos, com a vitória a sorrir à nossa equipa, por 4-1. Apesar de as jogadoras terem muitos jogos nesta época, tanto na equipa júnior como na sénior, conseguiram levar de vencida a equipa da Ribafria, trazendo mais um troféu para a nossa colectividade.
MCR

Vila da Batalha com animação em catadupa

Concurso de Espantalhos, Feira Rural, Encontro da Pedra, Feira de ATL, FIABA e Feira Medieval...

Bem podemos dizer que a vila da Batalha não vai ter tempo para respirar nos próximos quatro fins-de-semana. A programação cultural e de animação tem propostas para todos os gostos. Na notícia abaixo, a que promete ser a mais grandiosa: a Feira Medieval.

ESPANT’arte 2008
O Concurso e Exposição de Espantalhos "ESPANT’arte 2008" vai dar vida às principais praças da vila, em duas das importantes realizações que a vila vai acolher, nos próximos dois fins-de-semana (ver a seguir).
Trata-se de uma organização do Município, em colaboração com o Museu da Comunidade Concelhia, que reedita a iniciativa realizada em 1996 e em 2006, com excelente aceitação por parte do público.
Elementos marcantes da ruralidade do nosso concelho, os espantalhos são imitações da figura humana, vestidos com roupas velhas e de cores garridas, a fim de assustar as aves e animais que ameaçam as colheitas. O desafio lançado às associações, colectividades, Actividades Tempos Livres (ATL) e instituições de ensino público e privado do concelho foi o de recriarem esses típicos bonecos da vida rural, contribuindo assim para a preservação e transmissão às gerações mais novas dessa tradição agrícola. Ao mesmo tempo que se pretende premiar a criatividade dos participantes, junta-se o objectivo de sensibilizar os criadores e o público para a temática ambiental e da reciclagem, uma vez que será considerada a reutilização de materiais diversos.
A divulgação dos vencedores está marcada para o dia 25, pelas 18h30.

Feira Rural e Encontro da Pedra
Mel, azeite, flores naturais, produtos alimentares biológicos, vinho, doçaria regional e cerâmica artística são alguns dos produtos em destaque na I Feira Rural da Batalha, que se realiza de 23 a 25 de Maio, na praça D. João I. Em simultâneo, na praça Mouzinho de Albuquerque, decorrerá o IV Encontro da Pedra, com a participação de mais de vinte mestres canteiros de todo o País, que, ao vivo, divulgarão as técnicas e os saberes da sua arte.
Os dois eventos resultam de uma parceria do Município da Batalha e da Escola Profissional de Artes e Ofícios Tradicionais da Batalha, contando com o apoio do URBCOM – Programa de Urbanismo Comercial dos Centros Históricos de Leiria, Porto de Mós e Batalha e da ADAE – Associação de Desenvolvimento da Alta Estremadura.
Com a I Feira Rural da Batalha pretende-se potenciar e estimular os valores e as capacidades endógenas da região da Alta Estremadura, com particular incidência junto dos diversos produtores rurais, dando a conhecer alguns dos seus produtos de manifesta qualidade. O evento visa ainda "desenvolver estratégias capazes de assumir o desenvolvimento regional sustentável como um importante desafio a alcançar".
Já publicámos na última edição o programa de animação destes eventos, mas recordamos que terão lugar diversos momentos musicais, nomeadamente, música tradicional, uma tuna universitária e um espectáculo de fado, a decorrer no dia 24 de Maio, às 21h30, na praça Mouzinho de Albuquerque. Estarão também disponíveis para o público em geral diversos jogos tradicionais, estando previsto, no dia 23 de Junho, às 17h30, na sala de sessões do Município, o lançamento da obra "Jogos Tradicionais da Alta Estremadura", publicação que resulta da pesquisa dos alunos e professores da EAOTB.
Como referido acima, os espantalhos do concurso "ESPANT’arte" animarão estes espaços.

Feira das ATL com palhaço Picolé
Insufláveis, caracterização facial, oficinas de pintura e trabalhos manuais, jogos tradicionais, música e a famosa palhaço Picolé da "Praça da Alegria" (RTP) são os ingredientes de mais uma Feira das ATL que, a 31 de Maio e 1 de Junho, Dia Mundial da Criança, decorre na praça Mouzinho de Albuquerque.
Organizado pela rede concelhia de ATL e pela autarquia da Batalha, o programa é marcado pela animação e pretende, sobretudo, dar a conhecer aos pais as actividades desenvolvidas pelos educandos nos tempos livres.
O espectáculo da Picolé será no domingo, dia 1 de Junho, a partir das 17h00.
Mais uma vez, haverá oportunidade para apreciar os trabalhos do "ESPANT’arte" na praça.

FIABA estreia recinto
A decorrer de 5 a 8 de Junho, a Feira de Artesanato e Gastronomia da Batalha (FIABA) vai instalar-se este ano no largo Cónego Simões Inácio completamente remodelado e com inequívocas melhorias de piso, redes de águas, iluminação, etc.
Com grande envolvimento das associações do concelho da Batalha, o certame tem conquistado, ao longo dos últimos anos, grande destaque em toda a região, conciliando a gastronomia típica e o artesanato genuíno, este último em representação das diferentes regiões de Portugal.
Nesta XVIII edição, a FIABA contará com 17 tasquinhas, mais de 60 artesãos de todo o País e um programa de animação diversificado, que inclui a transmissão em ecrã gigante do jogo da fase final do Europeu de Futebol, entre Portugal a Turquia. Mas não faltarão os coloridos espectáculos das escolas concelhias e os sons mais tradicionais do folclore e da música popular, de que destacamos a actuação do rancho folclórico "As Lavadeiras do Vale do Lena", da Golpilheira, na tarde do primeiro dia. Também o pop-rock marcará presença, com Orlando Luís & Banda Shortcut na noite de abertura. Ainda no campo da música, as novidades vão para "Monte Lunai", com o folk das danças tradicionais europeias, no dia 6, e para o grupo de percussão feminina "Tucanas", que tem granjeado pelo país grande popularidade e irá encerrar o certame, na última noite.
O programa incluirá ainda o XX Encontro Nacional de Coleccionadores, no dia 7, e a primeira edição do Encontro Nacional de Pacotes de Açúcar, no dia seguinte.
LMF

Feira Medieval da Batalha apontada ao futuro

Reconstituição da Batalha Real de 1385

De 13 a 15 de Junho, a Batalha vai voltar ao ano de 1385, com uma recriação histórica do ambiente e da vida quotidiana medieval. O ponto alto será a reconstituição da própria Batalha Real, com cerca de 80 "combatentes".

O campo do Crasto, por detrás da zona desportiva da vila da Batalha, recebe, de 13 a 15 de Junho, um evento que promete captar a atenção do público. Sob o nome "Batalha Medieval - 1385", será uma grande produção que reconstituirá a mística do ambiente vivido no período medieval, com particular incidência para a recriação da Batalha Real de 14 de Agosto (posteriormente conhecida como Batalha de Aljubarrota), com mais de 80 figurantes, metade dos quais locais.
Com um orçamento de cerca de 60 mil euros, a organização é da Ordem da Cavalaria do Sagrado Portugal (OCSP), contando com o apoio do Município da Batalha, da Fundação Batalha de Aljubarrota (FBA), das entidades Passado Vivo e Recrear História, e ainda do Governo Civil de Leiria, do Turismo de Portugal e da empresa Impornogueira.
O evento foi apresentado em conferência de imprensa, no passado dia 16 de Maio, e promete "fazer reviver o quotidiano deste acontecimento marcante para a história de Portugal, bem como para o surgimento desta vila", como salientou Alexandre Cabrita, da OCSP, adiantando que se pretende sobretudo "uma actividade para toda a família, com um programa diversificado e de fácil acesso, onde haverá a participação de associações e escolas do Concelho". Para tal, durante estes três dias, haverá animação diversa, com artes circenses, música itinerante, um grande mercado etnográfico, tavernas e tasquinhas, torneios a cavalo e combates apeados, demonstrações de falcoaria, apontamentos históricos e gastronómicos, trabalhos artesanais e de cantaria, actividades interactivas com o público, em oficinas de artes militares, danças tradicionais e música medieval, e ainda uma zona infantil com insufláveis, jogos e outras propostas.
O ponto alto do programa será, claro está, a reconstituição da Batalha Real, ou de Aljubarrota, no sábado, dia 14, pelas 21h30, com cerca de 80 figurantes nacionais e internacionais, sendo cerca de metade recrutados na nossa região. A colaboração local é, aliás, uma das preocupações da organização, pois pretende-se também "uma vertente pedagógica do evento, na promoção cultural e artística da história, o que só é verdadeiramente conseguido quando as crianças, jovens e adultos não são meros espectadores, mas participam activamente na sua realização", referiu Alexandre Cabrita. Assim, no total dos cerca de 150 figurantes, cerca de 80 vêm das escolas e associações do concelho da Batalha e zonas limítrofes. "Os nossos voluntários virão trajados com todo o rigor histórico, enquanto aos locais, responsáveis pelo seu próprio guarda-roupa, apenas exigimos alguns requisitos obrigatórios de indumentária e uma pequena formação sobre a sua participação; mas consideramos mais importante o envolvimento das pessoas do que o absoluto rigor histórico, sobretudo nos espaços mais ‘informais’ da feira, como as tasquinhas de comércio e gastronómicas", adianta aquele responsável. Daí que até aos visitantes seja sugerido que, caso o desejem, enverguem alguma peça de vestuário adequada à época medieval, de modo a "entrarem mais activamente no espírito do evento". A própria escolha da data, em Junho em vez de Agosto, visou potenciar a participação das escolas, que estariam fechadas naquele mês, ao mesmo tempo que evita a sobreposição com a feira medieval que já se realiza em Aljubarrota anualmente a 14 de Agosto.

Potencial turístico
Alexandre Patrício Gouveia, presidente da FBA, salientou, na mesma apresentação, o potencial turístico deste tipo de eventos, como são exemplo algumas realizações do género por toda a Europa. "São espectáculos de qualidade, para um público cada vez mais exigente e com maior formação cultural", e neste caso concreto, "dada a importância desta data e deste local para a história nacional e internacional, prevemos um grande sucesso da iniciativa e um posterior alargar do seu âmbito aos concelhos vizinhos, sobretudo Porto de Mós e Alcobaça, bem como a outras regiões do País e mesmo estrangeiro", afirmou.
Também António Lucas, presidente da autarquia, manifestou o seu optimismo em relação à actividade, salientando que "este primeiro ano servirá de teste, mas esperamos que este se torne um evento anual de especial relevância na programação cultural do concelho". O autarca lembrou a aposta que o executivo tem vindo a fazer na "promoção de rotas turísticas de qualidade, para dinamizar e dar a conhecer a nossa história e património cultural", esperando que este seja mais um desses exemplo, inclusive, com "a conquista de parcerias e nível regional e nacional" nesse sentido.
Para tal, irá ser feita uma ampla divulgação junto das escolas de todo o distrito de Leiria e em diversos meios de comunicação a nível nacional.


Horários e acessos
A abertura será na sexta-feira, dia 13, pelas 18h00, com um torneio a cavalo, ficando o recinto aberto até às 24h00. Este será também o horário do dia seguinte, onde se destaca, como referimos acima, a reconstituição da Batalha, pelas 21h30. No domingo, a feira abre às 12h00 e encerra às 18h00, destacando-se, pelas 16h00, o "recontro final", uma demonstração de lutas medievais pelos colaboradores do Passado Vivo.
O acesso ao recinto faz-se pela estada que liga a zona desportiva da Batalha à Faniqueira, servindo de estacionamento os parques juntos ao pavilhão multiusos.
As entradas diárias têm o preço de 3 euros por adulto e de 2 euros por criança (dos 5 aos 14 anos), mas haverá diversas promoções, mediante a apresentação do folheto ou recorte da publicidade do evento na imprensa: entrada grátis a uma criança ou a um adulto, na compra de dois bilhetes de adulto. O pagamento poderá ser feito por cartão multibanco.

Luís Miguel Ferraz

Obras no adro de S. Bento

Palco demolido e nova arrecadação

A Comissão da Igreja de S. Bento recentemente nomeada já iniciou alguns trabalhos na zona exterior do adro.
Depois de tantos anos a ofuscar esta linda ermida, tirando-lhe a visibilidade, finalmente foi deitado abaixo o palco fixo e a arrecadação. Não menosprezando quem efectuou esta construção, com certeza feita com boas intenções, não devem ficar melindrados com esta decisão da actual comissão. Assim está bem. Foi devolvida a originalidade do largo da capela, tornando o espaço muito mais alegre e aberto.
MCR

Equipas do CRG

FUTEBOL DE 11
I Divisão - Juvenis Masculinos – Centro
27-04-08 – U.D.Batalha – 1/Golpilheira – 2

FUTEBOL DE 7
2º Torneio Distrital de Escolas - série C
26-04-08 – U. da Serra – 4/Golpilheira – 2
03-05-08 – Golpilheira – 5/Maceirinha – 5
10-05-08 – Andorinhas – 5/Golpilheira – 1
17-05-08 – Golpilheira - 5/Ilha – 5
Infantis Sub/13 – Série B
26-04-08 – Arcuda – 1/Golpilheira – 3
03-05-08 – Golpilheira – 4/Pombal B – 0


FUTSAL
Distrital de Juniores Femininos
25-04-08 – Mirense – 1/Golpilheira – 5
01-05-08 – Golpilheira – 6/Pedroguense – 3
02-05-08 – C.E. Fátima – 1/Golpilheira – 4
11-05-08 – Golpilheira – 5/Louriçal – 2
17-05-08 – Antões - 2/Golpilheira – 7
– FINAL DA TAÇA DISTRITAL –
24-05-08, 17h00 (Nazaré) – Golpilheira /Ribafria
Distrital de Seniores Femininos - Div. Honra
TAÇA NACIONAL
19-04-08 – CC Posto Santo (Açores) – 2/C. R. Golpilheira – 10
25-04-08 – C. R. Golpilheira – 1/AD Fundão – 2
27-04-08 – C. R. Golpilheira – 10/CA Riachense – 1
01-05-08 – C. R. Golpilheira – 9/CC Posto Santo – 2
04-05-08 – AD Fundão – 1/C. R. Golpilheira – 2
10-05-08 – CA Riachense – 0/Golpilheira – 3
Próximos jogos (meias-finais)
25-05-08, 17h30 (Batalha) – Golpilheira/Gondomar
01-06-08, 16h30 (Gondomar) – Gondomar/Golpilheira
Distrital de Seniores Masculinos - I Div. Distrital - Sul
26-04-08 – Olho Marinho – 3/Golpilheira – 4
03-05-08 – Golpilheira – 2/G.D.R. S. Bento-Arrabal – 1

Junta de freguesia veio abaixo

Obras já começaram

Começaram a meados deste mês as obras da nova sede da Junta de Freguesia da Golpilheira. O antigo edifício já foi deitado abaixo e está em curso a estabilização das fundações para a nova casa, um moderno e multifuncional equipamento público, que já há alguns anos se reclamava.
Segundo Carlos Santos, presidente da Junta de Freguesia, "este foi o sinal de visível de que o processo chegou à fase de concretização". Depois de discutido e aprovado o projecto do edifício e de garantidos os fundos de financiamento da obra, "foram analisadas as três propostas apresentadas e adjudicada a construção ao empreiteiro que fez o orçamento mais barato, conforme obrigam os requisitos do Tribunal de Contas", adianta este responsável.
Recordamos que, durante o decorrer da obra, os serviços da Junta funcionam em instalações provisórias, no Centro recreativo da Golpilheira. O atendimento faz-se entre as 13h00 e as 18h00 e as reuniões do executivo decorrem às quintas-feiras, pelas 21h30.
LMF

Peregrinação do Folclore ao Santuário de Fátima

Realizou-se no passado dia 27 de Abril a já tradicional Peregrinação Internacional dos Grupos e Ranchos Folclóricos a Fátima. Estiveram presentes agrupamentos de todo o País e de vários países da Europa, representados por largos milhares de componentes e directores. É uma demonstração da vivacidade da nossa cultura, cujos grupos a divulgam de Norte a Sul de Portugal, assim como no estrangeiro, mormente junto das comunidades portuguesas espalhadas pelos quatro cantos do mundo. Esta peregrinação empresta um colorido maravilhoso no Santuário de Fátima, correspondendo às expectativas da sua organização. A participação na Missa é o ponto alto desta tão nobre iniciativa, cuja continuidade é imprescindível assegurar, para bem da nossa cultura, mas também da nossa fé.
Manuel Carreira Rito

Breves desportivas...

Escolas – Futebol 7 - Encontro Distrital da Associação Fut. Leiria
A Associação de Futebol de Leiria vai organizar, no próximo dia 22 de Maio, um Encontro Distrital de Escola de Futebol 7, a decorrer no estádio municipal de Leiria. O programa será o seguinte:
14h00 – Início dos Jogos
17h15 – Fim dos Jogos
17h30 – Entrega de lembranças e lanche
17h45 – Desfile de todas as equipas
18h00 – Final da Taça Distrito de Futebol
A todas as equipas participantes serão entregues medalhas alusivas ao evento e outras lembranças, para além de um pequeno lanche volante.

Convívio de Escolas nas Barrocas
As secções de futebol Escolas e Juvenis do Centro Recreativo da Golpilheira vão organizar, no próximo dia 15 de Junho, um convívio com todos os atletas, pais e restantes familiares e amigos. O programa será:
11h00 – Jogos de futebol
entre as equipas do CRG
12h30 – Almoço / Porco no espeto.

Batalha Andebol Clube é campeão nacional de iniciados femininos
O Batalha Andebol Clube sagrou-se campeão nacional da 2ª divisão de iniciados femininos, no passado dia 11 de Maio. A equipa batalhense venceu dois jogos e perdeu um, na fase final do campeonato, e beneficiou da melhor diferença de golos para se sagrar campeã nacional.

Torneio de Futsal da Batalha
Doze equipas de associações do Concelho disputam no pavilhão do Casal do Marra, de 18 de Junho a 12 de Julho, a 5ª edição do "Torneio de Futsal Município da Batalha". A prova, que constitui uma organização do município e da Associação Recreativa Amarense, pretende aproximar as colectividades desportivas e culturais batalhenses pela via do desporto, estando o torneio aberto apenas a naturais e a residentes. O evento tem captado um número cada vez maior de equipas, bem como de presença de público. A final será a 12 de Julho, sábado, em horário a anunciar.

Estádio de Leiria recebe Taça da Europa de Atletismo
O estádio municipal Dr. Magalhães Pessoa, em Leiria, vai receber a Taça da Europa de Atletismo, que se realizará nos dias 21 e 22 de Junho. Esta prova, que constitui mais uma oportunidade para os atletas participantes se prepararem para os jogos Olímpicos de Pequim, é da responsabilidade da Associação Europeia de Atletismo (EAA), que apostou pela segunda vez em Leiria, cidade que considera ter "uma das melhores pistas do País para a prática do atletismo".
O Instituto do Desporto de Portugal está a promover a divulgação da prova junto da população, considerando que "a mobilização para esta grande festa e espectáculo é importante para a promoção do desporto e em particular do atletismo". A participação é livre, com inscrição prévia até ao dia 30 de Maio. Info: drc@idesporto.pt

Portugal no Euro 2008
A selecção nacional de futebol está de malas aviadas para a participação no campeonato da Europa – EURO 2008 – a realizar de 7 a 29 de Junho, na Áustria e na Suiça, onde vai encontrar, no grupo "A", a Turquia (dia 7), a Republica Checa (dia 11) e a Suiça (dia 15).
Luís Filipe Scolari, seleccionador nacional, convocou os seguintes atletas: Quim (Benfica), Ricardo (Bétis, Espanha), Rui Patrício (Sporting), Bruno Alves (Porto), Fernando Meira (Estugarda, Alemanha), Jorge Ribeiro (Boavista), Bosingwa (Porto), Pepe (Real Madrid, Espanha), Miguel (Valência, Espanha), Paulo Ferreira (Chelsea, Inglaterra), Ricardo Carvalho (Chelsea, Inglaterra), Deco (Barcelona, Espanha), Petit (Benfica), João Moutinho (Sporting), Miguel Veloso (Sporting), Raul Meireles (Porto), Cristiano Ronaldo (Manchester United, Inglaterra), Hélder Postiga (Panathinaikos, Grécia), Hugo Almeida (Werder Bremen, Alemanha), Nani (Manchester United, Inglaterra), Nuno Gomes (Benfica), Ricardo Quaresma (Porto), Simão Sabrosa (Atlético de Madrid, Espanha).
A participação no Euro é sempre uma ocasião de grandes festas por todo o País, sobretudo quando a selecção nacional ganha um jogo, num sentimento comum de união com a "equipa de todos nós", que junta novos e velhos na mesma onda de apoio a Portugal. Em muitos locais serão montados ecrãs gigantes para a transmissão dos jogos, como será o caso da Batalha. Todos são convidados a vir dar um contributo para animar a festa, que esperamos seja de vitórias portuguesas.

Tasquinhas do CRG

Rancho da Golpilheira organizou

O rancho folclórico "As Lavadeiras do Vale do Lena" do Centro Recreativo da Golpilheira organizou, nos passados dias 10 e 11 de Maio, na colectividade. Esta iniciativa teve em vista a angariação de fundos, assim como proporcionar aos visitantes a apreciação de vários pratos e petiscos aqui confeccionados. Os objectivos foram conseguidos, em grande parte devido à colaboração dos elementos do rancho folclórico, assim como de outras pessoas que quiseram ajudar.

Jovens da Batalha em festa

I Fim-de-Semana da Juventude

As actividades propostas para o I Fim-de-Semana da Juventude da Batalha foram muito concorridas, e não só por jovens. Pelo sucesso, o evento deverá continuar no futuro.

Torneios de paintball e de futebol 5, air bungee, slide, escalada, carros de rolamentos, BTT, passeios de "cisne" no rio lena, música, dança e muita animação marcaram o I Fim-de-Semana da Juventude da Batalha, uma organização conjunta da Câmara Municipal, da Associação de Estudantes da Escola Secundária c/3º CEB e alunos da Escola de Artes e Ofícios Tradicionais. De facto, nos dias 25 a 27 de Abril, a zona desportiva da vila acolheu algumas centenas de jovens, mas também de crianças e adultos, que aproveitaram as diversas formas de diversão que eram propostas no recinto.
Para além de comemorar a mensagem de Abril, o evento pretendeu "promover dinâmicas de organização de eventos e de trabalho em equipa junto dos jovens, garantindo a equidade participativa aos alunos dos diferentes estabelecimentos de ensino, e contribuir para o aumento do fluxo de informação juvenil e das diferentes associações relacionadas com a cultura e do desporto, sobretudo no nosso concelho". Por outro lado, foi uma forma de aproximar a programação da autarquia aos jovens, de modo a "transmitir a importância que eles representam enquanto alicerces da construção do futuro". Objectivos que foram cumpridos, segundo referiu o vereador Carlos Henriques, que acompanhou mais de perto a organização. "Pela adesão que o evento registou e pela forma como tudo correu, com a participação activa e interessada do público alvo e de outras camadas etárias, podemos dizer que foi um sucesso e terá pleno sentido voltar a repetir-se em anos vindouros", considerou aquele autarca.
De salientar que, no pavilhão multiusos, foram montadas diversas montras das associações do Concelho, onde também marcou presença o Centro Recreativo da Golpilheira, o que possibilitou aos visitantes tomar conhecimento mais próximo com a diversidade de oferta cultural, desportiva e social das várias colectividade e instituições juvenis.
LMF

Tempos livres para jovens

IPJ aprovou projectos da Batalha

"Promover a ocupação saudável dos tempos livres dos jovens, orientando-os para o desempenho de actividades ocupacionais que proporcionem a conquista de hábitos de voluntariado, que permitam o contacto experimental com algumas actividades profissionais e que potenciem a capacidade de intervenção e participação social e cívica dos jovens, contribuindo para o processo de educação não formal", são os objectivos subjacentes ao programa de Ocupação de Tempos Livres (OTL) promovido pelo Instituto Português da Juventude (IPJ).
Para este ano, foram apresentados 239 projectos na Direcção Regional do Centro do IPJ, dos quais foram aprovados 197, correspondendo à ocupação de 285 jovens. Associações Juvenis, Câmaras Municipais, Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS), Juntas de Freguesia, Organizações Não Governamentais e Associações Desportivas são as entidades promotoras destes projectos, onde os jovens irão realizar trabalhos em áreas tão diversificadas como ambiente e protecção civil, apoio a crianças e idosos, cultura e preservação do património, combate à exclusão social e saúde, etc.
Também o Município da Batalha apresentou três projectos, que foram aprovados, para quatro turnos nos meses de Julho e Agosto:
- "Geração Solidária", para apoio a idosos e/ou crianças, nas IPSS ou ATL do concelho;
- "Jovens na Arte", na área da cultura, para serviços na galeria Mouzinho de Albuquerque e na secção de Educação e Cultura da autarquia;
- Biblioverão, também na área da cultura, para serviço na biblioteca municipal.
Assim, estão a abertas, até ao dia 15 de Junho, as inscrições para os jovens entre os 16 e os 25 anos, que estejam integrados no sistema de ensino. Para tal, devem dirigir-se à Câmara Municipal, com o BI, NIF e NIB, para poderem efectuar a respectiva inscrição.

Novos caminhos florestais no concelho

Prevenção de incêndios e ordenamento do território

Com o objectivo de proceder aos trabalhos de abertura, beneficiação e alargamento de caminhos florestais, dando cumprimento aos requisitos legais, o Município da Batalha informa que estes e outros trabalhos decorrerão em caminhos previamente assinalados com fitas sinalizadoras, nos seguintes locais: Pinheiros e Casal do Arqueiro (Pinhais de Arroteia e Fontainha), Batalha (Casal Loureiro-Ponte da Boutaca), Calvaria de Baixo (Vereda), Santo Antão, Faniqueira, Casal do Marra (Carrascal), Vale da Quebrada (Vale da Formosa), Perulheira (Covão do Corvo), Maunça , Vale de Ourém (Lagoa das Ferrarias).
As acções compreendem o derrube de árvores, limpeza e desmatação, alargamento dos caminhos para quatro metros, regularização e compactação de piso, colocação de material granular e execução de valetas. Pretende-se contribuir para a "prevenção de riscos provocados por agentes abióticos, no âmbito da gestão sustentável e estabilidade ecológica das florestas".
Tendo em conta a importância destes trabalhos para a prevenção de incêndios florestais e para uma melhor qualidade ambiental, a autarquia solicita a melhor colaboração aos proprietários e confinantes.

GNR apresenta meios de defesa da floresta

Ministro da Administração Interna na Batalha

O Mosteiro da Batalha serviu de cenário, no passado dia 14 de Maio, para a apresentação pública dos meios humanos e materiais do Grupo de Intervenção, Protecção e Socorro (GIPS) da Guarda Nacional Republicana (GNR). Trata-se de um dispositivo destacado para a defesa da floresta contra incêndios, designadamente nas áreas da fiscalização, vigilância, detecção e alerta, que conta com cerca de 670 militares espalhados por todo o País.
Nesta vistosa parada, que contou com a presença do ministro da Administração Interna, Rui Carlos Pereira, mostraram-se os 70 destes militares que integram o GIPS para o distrito de Leiria, repartido pelas bases de comando de Pombal, Figueiró dos Vinhos e a agora inaugurada base de reserva de Alcaria, em Porto de Mós. Segundo o tenente-coronel António Paixão, comandante nacional do GIPS, esta nova base de Alcaria "servirá para aumentar a capacidade de resposta no combate aos fogos florestais no Distrito", procurando manter ou melhorar a "taxa de sucesso de 98%" registada no ano transacto.
Também o ministro salientou a aposta do executivo no combate aos incêndios, apontando para a cobertura integral do País, ou com os GIPS (em 11 distritos) ou com bombeiros canarinhos (em 7 distritos), como meios de ajuda profissional ao importante trabalho dos bombeiros voluntários que "têm uma maior proximidade com as populações". Só com o esforço conjugado destas equipas, das câmaras municipais e dos cidadãos será possível o sucesso da prevenção, defendeu o governante, destacando a importância do lema "Portugal sem fogos depende de todos" para que "as pessoas entendam o valor da floresta como um bem unitário, ambiental e económico da maior importância, tenham atitudes responsáveis e evitem comportamentos negligentes", como fumar nas matas, fazer fogueiras em piqueniques ou queimadas ilegais.
Ainda no âmbito das parcerias, Rui Pereira referiu a colaboração com algumas universidades, no sentido de encontrar "novas respostas tecnológicas em matéria de segurança interna e protecção civil", a par de metodologias já existentes, de comprovada eficácia, como é o caso das torres de vigia. Antes de partir, precisamente, para a visita a uma dessas torres de vigia, na Serra da Maunça, concelho da Batalha, o ministro defendeu que esse é um tipo de infra-estruturas onde pretende continuar a investir, dada a "experiência de nelas se conseguir detectar precocemente alguns fogos florestais" e o consequente "combate rápido e eficaz".
LMF

Moção contra alta tensão no Celeiro

Unanimidade na Assembleia Municipal

Ministério do Ambiente aprova mais uma Linha de Muito Alta Tensão no Celeiro. A Assembleia Municipal manifesta a sua indignação e exige suspensão da obra, enquanto a Câmara e os moradores ponderam novas formas de luta.

Apesar de todas as acções de defesa da população do Celeiro, em relação à construção de mais uma Linha de Muito Alta Tensão (Batalha/Lavos) na já tão sobrecarregada estação eléctrica que muito tem crescido nos último anos, o Ministério do Ambiente deu luz verde para essa nova linha. De nada valeram os pareceres negativos da Câmara Municipal em relação a qualquer dos corredores propostos, nem as acções de esclarecimento com variados técnicos de engenharia e saúde, que nunca conseguiram provar a inexistência de risco para a saúde humana daquele tipo de ondas electromagnéticas, e muito menos os protestos da Associação de Moradores do Celeiro e Lugares Limítrofes, que reclama contra esta concentração de campos eléctricos e até contra o ruído constante e muito acima do legalmente permitido.
Perante estes factos, a Assembleia Municipal aprovou por unanimidade, no passado dia 24 de Abril, uma moção contra o avanço daquela nova infra-estrutura no local. "Poderá também valer de pouco, mas é mais uma manifestação pública do desagrado que toda a população da Batalha sente pelo desrespeito dos seus direitos e por não ser tido em conta qualquer parecer das pessoas e entidades locais, quando estão em causa os interesses dos grandes grupos económicos e do poder central", lembrou o autor da moção, Luís Miguel Ferraz.
No documento – entretanto enviado ao primeiro-ministro, ao ministro da Economia, ao secretário de Estado do Ambiente, à Direcção Geral da Energia e Geologia e à Rede Eléctrica Nacional – a Assembleia Municipal manifesta "a sua pública indignação e o seu total desacordo em relação a estas decisões do Ministério do Ambiente e da REN, reiterando a posição da autarquia, nomeadamente, quando à necessidade de assegurar a protecção da saúde das pessoas, antes de qualquer outra preocupação ambiental, mediante a realização de estudos efectuados por entidades idóneas e independentes, que esclareçam cabalmente a ausência de riscos para a saúde pública". Por outro lado, solicita "às entidades competentes na matéria, directa ou indirectamente, a suspensão de quaisquer novas estruturas naquela subestação, enquanto não forem asseguradas as condições expressas acima, e o empenho para resolver efectivamente os problemas que actualmente já afectam com muita gravidade a população do Celeiro".
"A luta ainda não terminou", garante o presidente da autarquia, António Lucas, apontando a via jurídica como próxima linha de combate. "Se mais nada resultar e não forem ouvidas as nossas pretensões, podemos avançar com uma acção em tribunal, se tal for viável, estando já a equipa de juristas da autarquia a estudar o caso", conclui o presidente.
Também Rogério Silva, presidente da Associação de Moradores do Celeiro e Lugares Limítrofes, afirma que não vai cruzar os braços, estando a ser ponderadas, inclusive, "algumas formas de luta pública mais drásticas", caso não seja resolvido o problema da população. "Ou nos dão condições para abandonarmos o local e irmos viver para outro lado, ou resolvem o problema dos ruídos e do excesso de campos magnéticos que ali existe", reclama este morador, adiantando que "construir mais linhas ainda é que não podemos aceitar de forma nenhuma".

"Pais Atentos, Melhores Comportamentos"

Prevenir o risco é possível

O Município e o Agrupamento de Escolas da Batalha têm vindo a realizar um conjunto de sessões sobre prevenção de comportamentos de risco e promoção de hábitos saudáveis de vida, dirigidas em especial aos pais e educadores.
Este projecto, denominado "Pais Atentos, Melhores Comportamentos", insere-se no Plano de Acção da Rede Social da Batalha e foi criado com o objectivo de levar às freguesias do concelho da Batalha a discussão em torno de problemáticas associadas à infância e à juventude, com vista à detecção precoce de comportamentos de risco nestas faixas etárias e à sua prevenção desde a primeira infância.
A ideia surgiu aquando da elaboração do Diagnóstico Social da Batalha, no qual os parceiros da Rede Social puderam identificar as problemáticas existentes, com vista a uma intervenção local concertada e concreta. Uma das prioridades definida incidiu sobre a temática da promoção da família e de hábitos de vida saudáveis, centrada ao nível da estratégia de intervenção na diminuição das situações de risco entre as crianças e jovens, bem como no reforço das competências parentais e pessoais.
A terceira das sessões temáticas, intitulada "Comportamentos de Risco… Prevenir é Possível", decorreu no passado dia 8 de Maio, no Centro Recreativo da Golpilheira, e contou com a participação de Ana Filipa Soledade, técnica do Instituto da Droga e Toxicodependência – Centro de Respostas Integradas de Leiria. Na comunicação efectuada, esta responsável colocou a tónica sobre a importância de um papel activo dos pais e educadores na prevenção de alguns comportamentos de risco, designadamente na área da toxicodependência. Para Ana Filipa Soledade, "atenção, vigilância, diálogo e responsabilidade, são alguns dos pilares fundamentais para um acompanhamento eficaz dos jovens".
Endereçamos desde já o convite aos leitores do Jornal da Golpilheira para participarem na última sessão deste projecto, agendada para o dia 28 de Maio, quarta-feira, pelas 21h00, no Centro Paroquial de Assistência do Reguengo do Fetal, onde será discutida a temática "A Sexualidade e os nossos filhos", com a presença do médico Vítor Sousa. A entrada é livre e aberta a toda a comunidade.

A toxicodependência e os comportamentos de risco
Não se pode dizer que há uma única razão que leve ao consumo de drogas, mas sim vários factores que influenciam o seu consumo ou o não consumo. Estes factores podem ser individuais, sociais, familiares, ambientais e inerentes a cada substância e, geralmente, as razões que levam um jovem a experimentar uma droga são diferentes das razões que o levam a ficar dependente.
Numa fase inicial, existe a curiosidade, a vontade de pertencer a um determinado grupo, o desejo de diversão, o medo da exclusão, a ilusão, entre outros, que levam o jovem a ter os primeiros contactos com as drogas. Contudo, a sensação de prazer imediato conduz muitas vezes ao consumo reiterado de drogas e cria nos jovens situações de dependência. Nesta fase, o consumo destas substâncias está já alicerçado num conjunto de sensações egocêntricas, em que o jovem sente que tudo gira em seu redor e que o seu bem-estar depende unicamente das drogas.
Não podemos esquecer que a sociedade actual potencia o consumo de novas drogas e cada vez mais cedo. As drogas sintéticas são cada vez mais variadas e o seu consumo está, geralmente, relacionado com o consumo recreativo, aliado à diversão e ao lazer. Este fenómeno é preocupante, quer pelos efeitos que estas drogas causam na saúde, quer pela vulgarização de hábitos de consumo em contextos de diversão juvenis. Para além das drogas ilícitas – em que se incluem as sintéticas, a cocaína, a heroína, a canábis, entre outras – o consumo de drogas legais, como o álcool e o tabaco, têm vindo a aumentar e, também neste campo, os jovens iniciam o seu consumo cada vez mais cedo.
Nestes contextos de primeiro contacto com drogas e de experimentação, consideramos que a família tem um papel preponderante na identificação do problema e na sua resolução. O que acontece é que, actualmente e de forma genérica, a família desresponsabiliza-se de algumas das suas funções primordiais, como sejam o acompanhamento efectivo das crianças e jovens, deixando-os à deriva, sem suporte familiar que os informe dos reais perigos dos seus comportamentos.
Com efeito, a vida profissional e pessoal sobrecarrega cada vez mais os encarregados de educação e não deixa tempo para o diálogo, ganhando a televisão, o computador e a internet um papel de "substituto", ainda que artificial, da comunicação no seio da família. As ideias partilhadas em ambiente familiar e o diálogo constituem fortes factores de protecção dos jovens em relação aos comportamentos de risco.
Em suma, e de acordo com a apresentação efectuada por Ana Soledade, a família é responsável pela sinalização precoce de comportamentos de risco, pelo que deve estar preparada para conhecer os seus sinais, tais como mudanças de ritmo, alterações bruscas de humor, mentiras, grandes segredos e gastos inexplicáveis de dinheiro.
A terminar, a melhor prevenção dos pais e responsáveis das crianças e jovens face a comportamentos de risco é estarem atentos às suas alterações de conduta e manterem uma relação suficientemente próxima e efectiva com eles. Um papel exigente, mas altamente compensador.
Liliana Ribeiro

Associação de Pais promove encontros

Debates para incentivar os pais a um maior envolvimento nas escolas

Numa iniciativa da Associação de Pais e Encarregados de Educação do Agrupamento de Escolas da Batalha (APEEAEB), que juntou cerca de uma centena de participantes na escola da Rebolaria, no passado dia 8 de Maio, os pais, professores e animadores debateram os problemas da escola e apresentaram contributos para melhorar o ensino neste agrupamento. Sob o lema "A Voz dos Pais", esta iniciativa visou, entre outros objectivos, "contribuir para um maior envolvimento dos pais e encarregados de educação no processo educativo dos seus filhos e na vida da escola", adianta uma nota emitida pela organização.
Dos vários temas abordados, os pais sinalizaram alguns problemas vividos na escola da Rebolaria, com especial enfoque na "preocupante instabilidade ao nível dos docentes, com uma professora a ser substituída várias vezes neste ano lectivo, prejudicando assim o cumprimento do programa lectivo e a qualidade das aprendizagens", e manifestaram preocupações ao nível da zona envolvente da escola, "que em períodos de chuva se torna inadequada à presença das crianças".
A qualidade do serviço de refeições e o desenvolvimento das designadas actividades de enriquecimento curricular também foram temas abordados com preocupação pelos presentes, bem como o novo modelo de gestão escolar, as alterações ao Estatuto do Aluno e a eventual reorganização da rede educativa do concelho da Batalha.
Entretanto, uma iniciativa semelhante foi realizada, no dia 15 de Maio, na escola básica da Faniqueira, e serão agendadas outras nas demais escolas do Agrupamento da Batalha. Segundo a direcção da APEEAEB, as conclusões destes debates serão oportunamente apresentadas aos órgãos das escolas e ao Município da Batalha.

Primeira Comunhão na Golpilheira

Dez meninos do 3º ano da catequese

A Primeira Comunhão é sempre uma festa especial para as crianças e seus pais.
No Dia da Mãe, 4 de Maio, dez crianças da Golpilheira viveram essa festa de grande emoção.

Durante os três primeiros anos de catequese, aprendem-se as noções mais básicas da fé, as orações mais simples e, sobretudo, começa-se a conhecer Jesus como o melhor amigo e o conselheiro mais certo da nossa vida. No final desta caminhada, as crianças, com cerca de 8 anos de idade, têm também já alguma noção dos seus actos e conseguem entender que ir à Comunhão é receber Jesus na hóstia, é ficar com Ele no coração e estar, também, em comunhão com toda a comunidade dos irmãos que se reúnem à volta da mesa do altar. Por isso, é nesta altura que são preparadas para fazer a sua Primeira Comunhão.
Foi isso que aconteceu no passado dia 4 de Maio, em toda a paróquia da Batalha, na Missa dominical. Todos os meninos se juntaram no Mosteiro da Batalha, à excepção dos da Golpilheira, que fizeram a celebração na nossa igreja, mas a festa foi semelhante. Cantaram, rezaram e, ao chegar o momento da Comunhão, foram receber Jesus pela primeira vez, com respeito e muita emoção.
Por ser Dia da Mãe, fizeram uma oração especial a Nossa Senhora e cada um foi colocar aos pés da imagem da Mãe do Céus uma bonita rosa branca. Depois, também as mães da terra tiveram de presente uma rosa semelhante e uma pequena lembrança deste dia.
Na homilia, o pároco, padre José Gonçalves, lembrou a importância deste acontecimento no crescimento espiritual da fé destes mais pequenos, que agora é alimentada pelo próprio Cristo, ao fazer-se Pão para a vida de quem n’Ele acredita e com Ele quer caminhar. Daí a importância de "não nos ficarmos apenas pela primeira Comunhão, mas continuarmos a participar todos os domingos na Eucaristia, para crescermos sempre mais na fé e na união com Deus". Por outro lado, "ao comungarmos, temos também uma maior responsabilidade em viver de acordo com aquilo que Jesus nos ensina, porque Ele está presente, de forma real, dentro de nós", lembrou.
Esta celebração teve ainda um motivo especial de festa, pois o Rodrigo Fidalgo, um dos meninos que fez a Primeira Comunhão, recebeu também o Baptismo, passando a ser mais um membro da família dos filhos de Deus na nossa comunidade.
A todos eles desejamos muitas felicidades, com os votos de que cresçam saudáveis, "em sabedoria e em graça", à semelhança de Jesus.
Luís Miguel Ferraz

Peregrinação das crianças

"Jesus, só Tu és a verdade"

A Peregrinação das Crianças é um dos momentos mais característicos do Santuário de Fátima, que se prepara antecipadamente para acolher milhares de crianças, nos dias 9 e 10 de Junho.
Também este ano as crianças são convidadas a deslocar-se a Fátima com os seus familiares ou catequistas, para participar nesta iniciativa de oração e de festa, que teve no passado ano de 2007, pela primeira vez, um carácter internacional, com a participação de um grupo de crianças da Áustria.
Em continuidade com o projecto iniciado no início do milénio, o de dedicar cada ano a um mandamento da Lei de Deus, em 2008 o Santuário propõe à reflexão dos peregrinos o 8º Mandamento – "Não levantar falsos testemunhos (nem de qualquer outro modo faltar à verdade ou difamar o próximo)". Este também será o tema central da peregrinação, sintetizado no slogan que conduz ao essencial: "Jesus, só Tu és a Verdade!".
"É o tema da cultura da verdade, em contraposição com a mentira, tema muito pertinente na sociedade de hoje", explica a comissão que prepara a peregrinação das crianças. Na carta enviada aos párocos e catequistas de todo o País, a comissão propõe que as crianças enviem para o Santuário orações para as preces da Eucaristia do dia 10: pedidos que evoquem os danos causados pela mentira e os benefícios da verdade.
Quanto ao programa, sugere-se aos grupos que chegarem a Fátima no dia 9 de Junho que participem na celebração mariana das 21h30, na igreja da Santíssima Trindade, e que se inscrevam para um tempo de adoração eucarística – como fazia o beato Francisco, o adorador e grande amigo de "Jesus Escondido".

Concurso: Francisco, o amigo de «Jesus escondido»
No âmbito da Peregrinação das Crianças, tal como aconteceu nos últimos dois anos, é proposto às crianças um concurso, que culminará a 10 de Junho. Como está a decorrer este ano o 100º aniversário do beato Francisco (11-06-1908), e porque também ele, a Lúcia e a Jacinta sofreram em defesa da verdade das Aparições, este Pastorinho de Fátima será apresentado durante a peregrinação como modelo a imitar. Assim, propõe-se às crianças e adolescentes da catequese e das ATL a participação num concurso de texto (manuscrito) ou desenho, intitulado "Francisco, o amigo de «Jesus escondido»". O regulamento e os textos de apoio estão disponível na página do Santuário na internet (www.santuario-fatima.pt).
A resposta às iniciativas – os textos para as preces da Eucaristia, os trabalhos sobre a figura e vida do beato Francisco e o envio da ficha de inscrição de grupos para um tempo de adoração no dia 9 à noite – devem chegar ao Santuário até 30 de Abril, para a morada: Concurso para Crianças Apartado 31 2496-908 Fátima.

Paróquia celebrou "Dia do Doente"

Missa e almoço de confraternização

A paróquia da Batalha celebrou o Dia do Doente, no passado dia 11 de Maio, com uma Missa no Mosteiro de Santa Maria da Vitória, pelas 11h00, seguindo-se um almoço de convívio, pelas 12h30. Cerca de uma centena de doentes de toda a comunidade paroquial participaram neste dia de convívio, em que um toque de alegria e de carinho lhes foi especialmente dedicado.
A refeição costuma ser oferecida pela paróquia, mas este ano a organização contou com uma oferta especial do restaurante Tromba Rija, pelo que o almoço foi servido naquele espaço, na Quinta do Fidalgo, à entrada da vila batalhense. Segundo Francisco Frazão, responsável da Conferência de S. Vicente de Paulo da Batalha, que costuma organizar anualmente o evento, "esta foi uma oferta que registámos com muita gratidão e que permitiu aos nossos doentes uma experiência diferente, num local de muita qualidade, a que muitos deles não têm oportunidade de ir".
Houve ainda uma surpresa musical para animar a tarde, com a colaboração do artista Dinis Brites, que permitiu aos presentes escutar alguns temas de música popular e mesmo, para os mais capazes, dar um pezinho de dança.

Festas da Santíssima Trindade

Tradição a esmorecer

Decorreram nos passados dias 17 e 18 de Maio as centenárias Festas da Santíssima Trindade. Infelizmente já não têm o brilho e participação de outrora. Será crise de fé? Será crise económica? Este ano, apenas 29 ofertas. É muito pouco para a grandiosidade desta festa. Se não forem tomadas medidas imediatas, no próximo ano serão menos. Ser mordomo e pagar é mais fácil? Talvez. No entanto, o melhor que devemos fazer é perpetuar a memória dos nossos antepassados. Se cá voltassem agora, ficariam muito tristes e decepcionados connosco.
Devemos todos contribuir, para ultrapassar esta crise. E penso que o primeiro sinal deve ser dado pelo principal responsável pela sua organização.
MCR

"Fórum Leiria" será novo centro comercial

Grupo Lena venceu concurso

A Câmara de Leiria já elegeu o vencedor do concurso para a construção de um centro comercial de grande dimensão na cidade. O "Fórum Leiria", da Multi Development/Lena, foi o projecto escolhido pela maioria, com três votos contra e três abstenções.
A obra incluirá novas infra-estruturas públicas, como a construção de um pavilhão multiusos, um patinódromo, um novo mercado municipal, um centro associativo e a conclusão do topo norte do estádio. O total dos investimentos será de 170 milhões de euros, sendo 72 milhões para as referidas contrapartidas públicas.

Técnicos mundiais visitam a ITVM

Novidades nas inspecções

A empresa ITVM - Inspecções Técnicas de Veículos a Motor, Lda, situada em Santo Antão, Batalha, foi a escolhida para a visita dos cerca de trezentos operadores de inspecção técnica automóvel que participaram na 11.ª Conferência Anual do Associação Internacional de Inspecção de Veículos a Motor (CITA - International Motor Vehicle Inspection Committee), organizada pela Associação Nacional de Centros de Inspecção Automóvel (ANCIA), nos dias 6 a 9 de Maio, no Porto. Sendo o maior evento internacional do sector, Portugal conseguiu este ano receber um número recorde de participações, com representantes de 45 países dos cinco continentes.
Entre as temáticas debatidas, esteve em destaque o enquadramento normativo da actividade, nomeadamente a constituição de uma base de dados técnica europeia de ITV e a discussão das implementações do AUTOFORE, estudo da Direcção-Geral dos Transportes e Energia da Comissão Europeia sobre as "Futuras Opções para o Cumprimento das Inspecções na União Europeia". Também os impactos ambientais dos veículos e a segurança rodoviária estiveram na agenda.
Uma das novidades do encontro foi o anúncio, já para o próximo ano, das verificações técnicas aos motociclos. Fernando Teixeira, presidente da ANCIA, referiu que "actualmente os veículos de duas rodas não são inspeccionados, pelo que não temos conhecimento das suas condições" e defendeu que "todos os veículos motorizados devem ser verificados tecnicamente, para um eficaz controlo do nosso parque automóvel".
A este propósito, os responsáveis da ITVM consideram ser necessário adquirir algum equipamento, dadas as características próprias dos veículos de duas rodas, mas afirmam estar preparados para efectuar esse serviço. A escolha deste centro para a visita dos operadores internacionais prendeu-se, precisamente, com o facto de ser "um exemplo de prestação de serviços de qualidade", adiantam.

"Música em Leiria"

Festival também passa na Batalha

A 26ª edição do Festival Música em Leiria, organizado pelo Orfeão de Leiria, decorrerá de 3 de Junho a 3 de Julho, com 13 espectáculos a percorrer várias salas em Leiria, Pombal, Marinha Grande, Porto de Mós e Batalha. O tema deste ano assenta nos instrumentos de teclas ("a preto e branco"), percorrendo o piano, o órgão, o cravo, e até as "marimbas e outros idiofones, cuja disposição das lâminas encontra uma correspondência directa com o teclado do piano", explica Miguel Sobral Cid, director artístico do evento.
Prosseguindo a estratégia de captação de públicos mais jovens, o Música em Leiria 2008 apresentará como proposta mais arrojada "A flauta quase mágica", com recursos pouco convencionais na música clássica, misturando-lhe "teatro e arte digital plena de humor". Também a difusão de jovens artistas será uma aposta continuada, com o prémio "Jovens Músicos", tal como o estímulo da prática e fruição musicais com a participação dos Corais do Orfeão de Leiria e outras formações da Escola de Música da instituição promotora do festival.
O programa é o seguinte:

Drumming Grupo de Percussão
3 Junho – Teatro José Lúcio da Silva – Leiria

Artur Pizarro
5 Junho – Teatro José Lúcio da Silva – Leiria

Quarteto Arabesco
8 de Junho – Teatro-Cine de Pombal
9 de Junho – Museu do Vidro – Marinha Grande

A Flauta Quase Mágica
14 Junho – Teatro José Lúcio da Silva – Leiria

Ludovice Ensemble
14 de Junho – Igreja de S. Pedro – Porto de Mós
16 de Junho – Mosteiro da Batalha

António Esteireiro
18 Junho – Sé de Leiria

Orquestra Filarmonia das Beiras
21 Junho – Teatro José Lúcio da Silva – Leiria

Corais do Orfeão de Leiria e Orquestra Sinfónica Leiria
22 Junho – Igreja do Convento da Portela – Leiria

Sond’Ar-te Electric Ensemble
26 Junho – Teatro José Lúcio da Silva – Leiria

Orquestra Nacional do Porto
27 Junho – Teatro José Lúcio da Silva – Leiria

Orquestra Gulbenkian
3 Julho – Teatro José Lúcio da Silva – Leiria

X Feira do Livro de Leiria

Na praça Rodrigues Lobo

No próximo dia 30 de Maio, regressa a Feira do Livro de Leiria, prolongando-se até ao dia 8 de Junho, na praça Rodrigues Lobo. Esta 10ª edição da feira irá contar com a participação de 6 livrarias do concelho: Americana, Arquivo, Boa Leitura, Conchita, Letras e Livros e Martins. Durante o certame irão estar à venda livros para todos os gostos, com sessões de autógrafos organizadas com vários autores e animação para crianças e adultos. A feira irá estar aberta todos os dias, das 17h00 às 23h00, e aos fins-de-semana, das 15h00 às 23h00.

Eleições no PSD Batalha

João Bastos reeleito presidente

A concelhia da Batalha do PSD foi a eleições, no passado dia 16 de Maio, com cerca de 50% dos filiados a comparecerem à chamada. Foi reeleito para a presidência da Comissão Política o empresário João Manuel Guerra Bastos, num segundo mandato em que é acompanhado por Alfredo Matos, Júlio Rodrigues, Rui Trovão, José Guerra Silva, Fernando Ribeiro, António José Costa, Jorge Oliveira, Luís Miguel Santos e Telmo Ligeiro, entre outros. Paulo Batista Santos, actual vereador da Câmara Municipal e dirigente distrital do partido, é o novo presidente da Mesa da Assembleia, acompanhado pelos presidentes das juntas de freguesia Silvestre Carvalhana, Germano Pragosa e Carlos Santos, e ainda o arquitecto Paulo Costa.
Segundo nota enviada à comunicação social, a principal preocupação no início deste mandato é "organizar os actos eleitorais previstos para 2009, em estreita articulação com os autarcas eleitos, tendo em vista a vitória do PSD no concelho da Batalha em todos os actos eleitorais". Ainda segundo a mesma nota, a nova direcção pretende "instituir um conselho de opinião, aberto a cidadãos independentes, tendo como objectivo essencial a análise e o debate de questões de interesse público".

Corrida/Passeio do Coração

Rádio Batalha organiza

Decorrerá no dia 25 de Maio, domingo, com partida às 10h00, junto ao pavilhão multiusos da vila, mais uma"Corrida/Passeio do Coração". A organização é da Rádio Batalha, que pretende chamar a atenção, no mês do Coração, para a importância de praticar actividade física. Nesta edição, foi adoptado um percurso na margem do rio Lena, atravessando a Ponte de Almagra, Faniqueira e Arrufeira.
Neste evento, que a emissora regional tem organizado anualmente, colaboram a Câmara Municipal da Batalha, os Bombeiros Voluntários da Batalha e a Junta de Freguesia da Batalha, contando com o patrocínio da Óptica Cunha e Fonseca.
Escusado será dizer que todos os ouvintes e a população em geral são convidados a juntar-se a esta caminhada, que valerá também pelo desfrutar das paisagens à beira-Lena, pelo convívio entre pessoas de todas as gerações e pela saudável maneira de passar a manhã domingueira. Claro que o principal benefício será para a saúde física e psíquica dos participantes, sobretudo ao nível dos aparelhos circulatório e respiratório.

Novas editoras

Ficções Média
A Ficções Média é uma nova editora no nosso mercado, sedeada na freguesia da Portela, proprietária do jornal de distribuição gratuita Notícias da Portela. Na inauguração desta nova actividade, lançou três livros que apresentamos nestas página: "Quem és tu, Zequinha?", "Demanda" e "O Dirigente Máximo".


Papiro
A "Papito Editora" integra um sólido grupo editorial – "Fólio, Comunicação Global" – com competência nas várias etapas da edição, criação, produção gráfica e distribuição de livros. Valoriza, essencialmente, obras de autores desconhecidos e que têm pouca visibilidade no mercado livreiro, mas que pelo seu talento merecem que o seu trabalho seja tornado público. Por isso, o contacto ideal para aqueles que queiram ver publicada a sua obra (prosa, poesia, ensaio, livro técnico, guião de teatro/cinema, livro prático…): andreia.varela@papiroeditora.com.

Quem és tu Zequinha?

Filipe Esménio
Editora Ficções Média

Um abanão literário na percepção do quotidiano e do comodismo tão nacionalista, "Quem és tu, Zequinha?" não é tanto uma tipificação do português, mas um acordar daquilo que todos temos desta amável personagem. Ora recebemos uma boa estalada, ora somos levantados com uma vontade renovada de ir além das limitações. De uma forma divertida, vamos reconhecendo o que em nós há desta figura tão familiar, ou nos nossos conhecimentos, com uma descrição tão mordaz e lúcida que dá a sensação de que o autor se inspirou na nossa lista de contactos.
Suscita a capacidade de nos rirmos de nós mesmos e de melhorar, arrumar a casa e deitar fora o lixo.

Dirigente Máximo

R. de Sousa
Editora Ficções Média

Num Portugal pós 25 de Abril, em que o conteúdo ideológico dos partidos políticos parece-se ter esvaziado e desenraizado em prol de um pragmatismo implementado pelo poder económico, as dúvidas surgem. "O Dirigente Máximo" aborda da melhor forma esta temática. Um dirigente de uma autarquia utilizava o seu estatuto e poder de forma abusiva e intrusiva. Ao desfolharmos o livro, deparamo-nos cada vez mais com este lado negro do dirigente, com toda a sua necessidade de poder e liderança, dirigir com coerção e obediência.
"O Dirigente Máximo" baseia-se em relatos de manipulações e abusos que despertam a revolta e a indignação ao leitor, numa narrativa extremamente envolvente.

Demanda – ou a cor nunca vista

Manuel Monteiro
Editora Ficções Média
Este livro imerge o leitor no dilema psicológico da personagem e da sua constante metamorfose na busca de Sofia, na demanda platónica de alcançar o que é belo, livre, puro. Daniel vive a demanda, segundo o embalo de uma memória à semelhança de um sonho de criança, que se funde com a busca de sentido e visão do mundo a que a personagem aspira. A caça ao tesouro que se confunde com uma caça às bruxas. O impasse e a dúvida transfiguram o real, no qual as situações que se lhe deparam sugerem uma alegoria da sua vivência interna. O leitor, sugado para o mundo mental de Daniel, oscila com a personagem, deixando-se andar à deriva dos seus pensamentos e dúvidas.
O livro amplia o conceito de amar, jogando-o com a experiência do ser, com um estilo literário inovador e recorrentemente poético, potenciando o encontro do leitor com o que a personagem sente, pensa, com a sua angústia e o seu encantamento.

Mãe – uma antologia literária (Livro) e Querida Mãe (Audiolivro)

Editora 101 Noites

Depois do sucesso da colecção de audiolivros "Livros para Ouvir", a 101 Noites lança um novo título para assinalar o Dia da Mãe: o audiolivro Querida Mãe, lido pelo actor Filipe Vargas, acompanha o livro Mãe – uma antologia literária.
O CD reúne cartas de Lord Byron, Edgar Allan Poe, Gogol, Baudelaire, Flaubert, Dostoievski, Tolstoi, Rimbaud, Oscar Wilde, Proust e Fernando Pessoa às suas mães. Estes escritores revelam nesta correspondência as suas angústias e as suas conquistas, disputas e reconciliações, desgostos e alegrias e, acima de tudo, o seu profundo amor filial. Na sua maioria inéditas em português, estas páginas íntimas constituem, graças às biografias que as acompanham, um documento valioso para o conhecimento da vida e obra de alguns dos maiores vultos da literatura mundial.
O livro reúne textos de grandes vultos da literatura nacional e internacional. Uma viagem não só pela escrita de diferentes autores, estilos e épocas, como pela diversidade dos significados que a maternidade pode assumir. De Camões a Florbela Espanca, de Eça de Queirós a António Nobre, de Victor Hugo a Baudelaire, de Oscar Wilde a Proust, de Fernando Pessoa a Mário de Sá-Carneiro, de Marguerite Duras a José Luís Peixoto.
Duas excelentes homenagens às mães.

Terra Vermelha - Crença e Insubmissão no Alentejo do Século XX

Paulo Barriga
Edições Guerra e Paz

Um livro de histórias do Alentejo, de acontecimentos individuais, únicos, esquisitos, extravagantes... talvez apenas na aparência. No seu conjunto, formam episódios um curioso corpo de uma certa portugalidade. A revolta e a resignação, a indignação e a indiferença, a fé e a incerteza materializam-se na devoção religiosa ou no logro que sempre acontece quando há abundância de utopias políticas ou de prodígios sobrenaturais. São reportagens históricas, umas vezes mais lúdicas, outras mais etnográficas, outras mais documentais, numa grande reportagem sobre uma certa «História do Alentejo rural».
Paulo Barriga (Beja, 1968) é jornalista e crítico literário, tendo trabalhado em rádios, jornais e revistas, tanto locais como nacionais. É autor de várias publicações.

O Mensageiro de Fidel

Alexandre Coutinho
Edição Guerra e Paz

Havana, Xangai, Pequim e Paris. Esta é a história do encontro secreto entre Fidel Castro e Deng Xiaoping, proporcionado pelo jornalista francês Philippe Lancry. Em 1991 entrevista na ChinaDeng Xiaoping. Em 1995 em Cuba entrevista Fidel Castro. Sustentada historicamente por textos, livros e intervenções públicas destes míticos líderes, a narrativa recorda o momento político que marcou a aproximação entre os dois países (após o colapso da União Soviética), bem como os primeiros passos dos dois regimes nos trilhos da economia de mercado.
Alexandre Coutinho (Lisboa, 1964) é jornalista do Expresso, fotógrafo e investigador, tendo já trabalhado em diversos outros jornais nacionais e estrangeiros.

A Especiaria

António Oliveira e Castro
Edições Guerra e Paz

Ficção apoiada em algumas personagens verídicas, que construíram a história comum das nações irmãs: Angola, Cabo Verde, Portugal e São Tomé. A acção decorre entre 1540 e 1975, num presente é consequência de todo um passado de amores e ódios e para um futuro passa pela defesa desta cultura mestiça, crioula, sem a qual deixaremos de ser quem somos: diferentes.
A história é percorrida por um herói, Flávio Mancini, obcecado com a procura do elixir da eterna juventude, escondido algures nas florestas do reino do Congo.
António Oliveira e Castro (Angola, 1951) experimentou o cinema, a pintura, a poesia, a universidade, a rádio, a publicidade, a agricultura... até se dedicar a este "projecto de toda uma vida": A Especiaria.

Vivências

Liana Tinôco Ferreira
Papiro Editora

"Vivências" é fruto da experiência e do conhecimento adquiridos ao longo dos anos nos diferentes países e culturas que encantaram a alma, o coração e a mente da poetisa. A palavra saudade está eminente no manancial de poemas que relatam os sonhos, o percurso de uma vida, as desilusões, o amor e a dor da perda, a maternidade e a velhice. "Vivências" é simplesmente o resultado da apreensão vivencial ao longo da vida.
Liana Tinôco Ferreira (Lisboa, 1938) viveu em Moçambique entre os 15 e os 36 anos, e foi professora na Suíça e em Portugal, estando agora aposentada.

O Enigma da Praia da Luz

Frederico Duarte Carvalho
Edição Guerra e Paz

Desapareceu uma menina no Algarve, na Praia da Luz. As dúvidas quanto as circunstâncias do desaparecimento, a investigação policial e jornalística que se seguiu são trazidas à luz da verdade através da história de ficção protagonizada pelo jornalista Miguel Andrade e pela sua companheira, Érica Faria. Baseada no caso Madeleine McCann, não é ainda um relato jornalístico, pois, diz o autor, "o caso ainda está aberto e não é possível chegar a uma conclusão".
Frederico Duarte de Carvalho (Porto, 1972) trabalhou em O Primeiro de Janeiro e no Tal & Qual, sendo actualmente repórter da Focus. É autor de vários livros.

O Tratado de Lisboa

Assunção Esteves
e Noémia Pizarro
Edições Cosmos

Editado pelas Edições Cosmos, este livro apresenta o texto do Tratado de Lisboa consolidado pelas autoras, Assunção Esteves e Noémia Pizarro, incluindo as versões revistas e consolidadas do Tratado da União Europeia e do Tratado sobre o Funcionamento da União Europeia, bem como a Carta dos Direitos Fundamentais e todos os protocolos e declarações anexas aos Tratados.

Poética do Instante Filosófico

Luís Lourenço
Papiro Editora

Ao som da declamação dos poemas, o leitor é convidado a viagens múltiplas pela exuberância do instante filosófico e o pressentimento do seu carpe diem. "Poética do Instante Filosófico" é a libertação de um sopro que proporciona a reflexão e o pensamento, saboreando-se dessa forma o alcance filosófico dos textos e a sua fragrância estética.
Este livrinho, de leitura atraente mas interpelativa, dirige-se, sobretudo, a estudantes e professores de filosofia (mas também das outras áreas, a filósofos, artistas, jornalistas, cientistas, políticos...); e inclui dois CD’s das composições poéticas declamadas pelo autor, com música de fundo sempre apetecível.
Luís Lourenço (Mogadouro, 1948) é professor do ensino secundário no Porto.

Terra Rasgada

Lina Céu
Papiro editora

A emoção e a razão unem-se nos poemas que historiam as três experiências de vida da poetisa: a idade juvenil, a adulta e, posteriormente, a idade madura. "Terra Rasgada" é um confluir de emoções e raciocínios, fundidos ou não, divididos em duas partes, distintas apenas pelo critério da forma. Por intermédio dos poemas, a poetisa expõe a sua vida, quer racional quer emocional.
Lina Céu é professora e começou a escrever desde nova, tendo conquistado diversos prémios e publicado textos em diversos jornais.

Alergias respiratórias

Na Primavera, além do bom tempo, do sol e das flores, chegam também as alergias, acompanhadas pelos pingos no nariz, pelos espirros que não param e os olhos a lacrimejar. A alergia é uma doença que afecta um grande número de pessoas em todo o mundo. É uma situação em que o organismo reage de uma forma exagerada a substâncias normalmente inofensivas. Pessoas que têm alergias frequentemente são sensíveis a mais do que uma substância.
As alergias podem ser provocadas por inúmeras substâncias, sendo a mais comum a poeira, na qual se encontra o ácaro. O pólen de algumas árvores, como ciprestes, eucaliptos, plátanos e acácias, é susceptível de causar alergias. A muito conhecida "Febre dos Fenos" é uma doença que ocorre sempre neste época do ano, sendo o resultado da polinização das flores. Desinfectantes, insecticidas, perfumes e mudanças de temperatura bruscas (quente para o frio) podem também ser agentes causadores deste tipo de alergia.
No sistema respiratório, a alergia poderá manifestar-se como uma doença alérgica no nariz (rinite alérgica) ou nos pulmões e vias aéreas (asma ou hiper-reactividade brônquica). Tosse e falta de ar são os principais sintomas de alergias respiratórias. Sintomas como a secreção lacrimal, inflamação da membrana do olho (conjuntivite), irritação dos olhos, corrimento nasal e espirros constantes são os mais comuns.
A melhor maneira de prevenir a alergia começa dentro de casa. Um ambiente limpo, livre de poeira e bem arejado é um bom começo para que as pessoas possam tentar manter-se longe das alergias. Para tratar, o caminho é único: identificar a causa e manter-se longe desse agente. Desta forma, a melhor atitude é a prevenção.
Para descobrir o agente causal, o médico irá prescrever um teste que se realizará na pele do braço. Serão utilizadas extractos diluídos de alergenos, como o pó dos ácaros, pólenes ou mofos, para realizar o teste, que pode ser feito através de inserção do alergeno debaixo da pele, ou pela aplicação deste sob um diminuto arranhão. Este teste é fácil de fazer, além de ser barato.
O médico poderá recomendar ainda o uso de anti-alergenos para combater ou prevenir os sintomas da alergia respiratória. Outra opção de tratamento é a imunoterapia ("vacinas"), que utiliza injecções com dosagens progressivas de substâncias que provocam a alergia, com o intuito de "habituar" o corpo a receber tais alergenos, diminuindo a sensibilidade do organismo a estes.
Com a degradação do ar que respiramos, as alergias são cada vez mais frequentes, pois qualquer processo alérgico pode ser agravado devido à qualidade do ar. Se, por um lado, médicos e doentes estão mais atentos às condições ambientais, por outro, o processo de urbanização e industrialização crescente está a contribuir para o agravamento do problema. Vários estudos epidemiológicos demonstram que a incidência de problemas alérgicos aumentou nas últimas duas ou três décadas e está comprovado que este aumento é consequência dos constantes aumentos da poluição do ar.

Ana Maria Henriques
Enfermeira

Paula Alexandra Sousa Pereira




S. Bento - Golpilheira
N. 28-03-69 • F. 30-04-2008
Seu marido e filhos vêm muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que estiveram presentes no funeral da sua ente querida, ou que de uma ou outra forma lhe prestaram homenagem.
Por tudo, bem-hajam.
O Jornal da Golpilheira apresenta os pêsames a todos os seus familiares e pede aos leitores uma oração pela sua alma.

Palavras

Chorei
Sem ter nome para te dar
Dei a mão a quem amei
Acabei a chorar.
Perdi a calma
Sofri sem razão
Libertei minha alma
Mas entreguei meu coração.
Hoje já se encontra debilitado
Deixa-me aos poucos partir
Hoje não te tenho a meu lado
A vida vai deixando de sorrir.
Já bastante cansado
O tempo já é curto e perdido
O rosto mostra-me desanimado
Mas de ti jamais esquecido.
Se a vida é boa
Acabamos por ser invejados
Que a barriga não doa
A quem nos faz amargurados.
Palavras a quem merece que lho diga
Sem querer ofender a quem ofende
Que encha enquanto puder a barriga
Já quem em palavras não se defende.
José António Carreira Santos

As flores

Quando eu passei por ti
vi os teus botões rebentar,
tiveste tantos filhos
alguém os veio apanhar.

As folhas ficaram tristonhas
como era linda aquela flor,
de várias cores tudo levaram
para oferecer a quem for.

Flores, não fiquem tristes,
não vale a pena chorar,
dá-se o perdão e alegria.
Flor foi para algo embelezar!

Flores que vivem no campo
enchem a terra de beleza,
mas por tantos és descriminada,
morres de fome e sede, de certeza.

Nasce toda a verdura no campo,
noite e dia a natureza embefezar,
a água e o sol é o teu grande amigo,
as flores nunca nos vão deixar.

Cremilde Monteiro

Coitado do Manjerico

Deixaste saudades gatinho!
O teu olhar era mesmo engraçado,
Eras muito brincalhão,
Pelos teus donos acarinhado.

Era a companhia da ti Maria
Tinha todo o cuidado de o tratar,
Como ainda não tinha nome
Ela pensou em o baptizar.

Tantos nomes foram escolhidos
Pôs-lhe o nome preferido
Foi o nome que gostou
No seu coração tem algo sentido.

Ao Manjerico só faltava falar
Tinha um tino, tudo compreendia
O que via fazer chamava a atenção
Para vermos o que fazia.

Coitado do pobre gato
Os dias estavam contados
Já andava um pouco triste
Parecia desanimado.

Quando vinha bater à porta
Para encher o estomaguito,
A dona já tinha o jantar
Pobre gato, coitadito.

Estava a atravessar a estrada,
Coitado não teve sorte,
Perto da minha casa
Um carro trouxe-lhe a morte.

Coitado do pobre Manjerico
A todos deixa saudades,
A ti Maria ficou triste
É azar, não foi maldades.

A ti Maria pensa no seu gatinho
Mas já não há nada a fazer,
Esqueça essas mágoas
Ainda alguém a vem surpreender.

Cremilde Monteiro

Huguet

(2º Arquitecto do Mosteiro da Batalha)

De onde vim?
A História esconde
a minha nacionalidade
e a minha própria identidade
é nebulosa.
Com outros, concebi
a obra mais assombrosa
do reino a que me acolhi.
Fui eu que ergui
a prodigiosa abóbada
e, a prová-lo,
nela deixei
as nervuras com que assinalei
tudo o que construí.
Se sou estrangeiro
pelo país onde nasci,
morri português
porque foi Portugal que escolhi
e, durante toda uma vida,
de corpo inteiro
servi.


Na realidade, foi toda uma vida dedicada ao Mosteiro de Santa Maria da Vitória. Pelo menos desde 1402 até 1438, ano da sua morte, Huguet dirigiu as obras do Mosteiro. De onde veio não se sabe. Talvez da Inglaterra ou da França ou da Catalunha, sendo esta a origem mais prová­vel tanto por este apelido existir nessa nação hispânica como pela aproxi­mação que fez do gótico ao Mediterrâneo. Nunca se conseguiu apurar se o nome próprio era David e o seu apelido aparece grafado de diversas formas.
Sob a sua direcção, construíram-se a capela-mor, o transepto e a nave cen­tral da igreja, dois lanços do claustro real (Norte e Oeste), a Capela do Fundador e iniciaram-se as Capelas Imperfeitas por encomenda de el-rei D. Duarte I. Foi Huguet que acabou a celebrada abóbada da Casa do Capítulo, como se pode ver pelas nervuras: as dele esquinadas, as de Afonso Domingues­ redondas.
Morreu na Batalha, tendo sido sepultado na igreja de Santa Maria-a-Velha, que foi o primeiro templo da povoação e existia no terreiro a Leste e curta distância do Mosteiro. Esta igreja foi destruída no século XX, a nave em 1931 e a capela-mor à volta de 1965, num atentado indesculpável contra o património histórico e contra a memória dos mestres nela sepulta­dos, continuando a aguardar-se, como reparação do que se fez, que o seu es­paço sagrado seja devidamente assinalado e resguardado. Aí deveria erguer­-se um monumento aos arquitectos quatrocentistas e quinhentistas, vários sepultados no local, que ergueram um património em Portugal hoje, na maior parte, classificado como da Humanidade.

José Travaços Santos

A Batalha nos séc. XIX e XX

Alguns dados da história local

Sobre a vila da Batalha chegam-nos informações importantes dos séculos XIX e XX que importa publicar no Jornal da Golpilheira, não só pela sua importância para ajudar a caracterizar esses tempos idos, como para possibilitar conhecer as gentes e algumas das suas realidades. Trata-se de alguns dados apresentados pelo médico Ferreira Carreira no I Congresso das Actividades Gerais do Distrito de Leiria, realizado em 1944. Segundo estes dados, os leitores podem ter uma noção dos comportamentos e da realidade social, cultural e demográfica de um concelho que sempre se destacou no panorama distrital, no período entre 1890 e 1940.
Uma amostra demográfica e social
A evolução da população da Batalha entre 1890 e 1930 aumentou significativamente: 1890 - 6.562 habitantes; 1900 - 6.693; 1914 - 7.690; 1920 - 8338; 1930 - 9.664. Com estes números, verificamos que, em 40 anos, a Batalha teve um acréscimo de mais de 3000 indivíduos, havendo relatos da época que naquele período "o número de fêmeas por 100 varões variava entre 103,3 (1890) e de 107,4 (1930). A vila tinha naquela época uma superfície de 113,68 quilómetros quadrados. Mas, se compararmos o número de população entre os anos de 1878 e 1940, a sua população duplicou, com 5.936 habitantes no primeiro período e 11.161 no segundo.
Conseguimos também obter o número de famílias da Batalha nas décadas de 30 e 40 do século passado: em 1930, o concelho tinha 1.259 famílias, com 4,4 pessoas por lar, enquanto que em 1940 a Batalha abrigava 2.458 famílias, numa média de 4,54 pessoas por lar.
No decénio de 1916-1925, o número de nascimentos na Batalha foi o seguinte: 1916 - 301; 1917 - 299; 1918 - 262; 1919 - 202; 1920 - 304; 1921 - 259; 1922 - 240; 1923 - 321; 1924- 467; 1925 - 342, totalizando nesses anos cerca de 2.997 nascimentos, com oscilações significativas, mas acompanhando os comportamentos do Distrito e do País.
No ano de 1930, deram-se 68 casamentos e nenhum divórcio na Batalha. A curiosidade chega-nos nos nados vivos e mortos. Dos 342 nados vivos que existiram, 21 foram considerados ilegítimos. Houve nesse ano 12 nados mortos.
Em 1930, havia na Batalha 9.109 pessoas de origens locais, 285 de outros concelhos do Distrito, 264 de outras naturalidades de Portugal e apenas 6 estrangeiros.
Outra das análises que conseguimos obter foi o número chocante de analfabetos no concelho da Batalha em 1930. De um total de 9.664 habitantes naquele ano, imagine-se que 7.447 pessoas eram analfabetas, das quais 3.223 eram homens e 4.224 mulheres. Felizmente que a realidade actual é bem diferente…
A mortalidade infantil era um problema grave de então. Em 1940, verificando a morte até aos 5 anos de vida, na Batalha morreram apenas 49 crianças, para um total de 1.270 em todo o distrito de Leiria. A grande incidência recai no primeiro ano de vida (31), sendo 9 nas idades de 1 aos 2 anos, 7 nos 2-3 anos, 1 nos 3-4 anos e 1 nos 4-5 anos. As razões de morte, em 1940, eram as seguintes: 8 pessoas morreram de diarreia e enterite, 13 de debilidade congénita, 2 de pneumonia e bronco-pneumonia, e 5 de causas ignoradas ou mal definidas.
Em 1930, existiam na Batalha 11 cegos e 3 surdos-mudos.
Apresentámos neste breve estudo uma análise muito breve a um período da história da passagem de milénio da vila da Batalha, uma época em que o alcoolismo, febres tifóides, tuberculose e mortalidade infantil eram problemas sérios que as populações enfrentavam.
Joaquim Santos


Foto cedida por José Travaços Santos,
que retrata, precisamente, o ano de 1890

Fotos do Mês - Maio 2008




A melhor cura

Nem sempre a foto do mês se fica pela piada. É o caso desta edição. O Dia do Doente é uma bela organização da paróquia, em que os que mais sofrem são recordados com especial carinho. Mas este ano, para além da paróquia, há que dar os parabéns outras pessoas e entidades. Como se vê nas fotos, os doentes tiveram oportunidade de frequentar um espaço de qualidade, graças à oferta do almoço pelo restaurante Tromba Rija, na Quinta do Fidalgo. E a Rádio Batalha, através do Dinis Brites, premiou os presentes com uma tarde musical. Pelas expressões que vemos, a cantar a plenos pulmões e a dar um pezinho de dança, está provado que a música é mesmo a melhor cura para os nossos males...

Fim da crise


População queixa-se do cheiro nauseabundo

Nos últimos dias, e mais acentuadamente quando o vento está do lado Norte, a nossa freguesia é fustigada por maus cheiros. Segundo algumas queixas da população, este deve-se ao facto de andarem a espalhar dejectos de porcos na Quinta da Cortiça. Mas o que mais me admira é que não vejo as entidades oficiais preocupadas com este assunto, nada fazendo para o eliminar. Oiço dizer que aquilo que estão a fazer é legal, isto é, espalham num dia e enterram no outro. Mas o certo é que o mau cheiro continua, parecendo que as pessoas se conformam com esta situação. Nem parece que estamos na Golpilheira, de gente que costuma lutar pelo seu bem-estar, pela sua qualidade de vida, e que agora está muito passiva. Será por o mau cheiro vir dum terreno pertencente à freguesia da Barreira e concelho de Leiria?
MCR